Parque Tecnológico Região Serrana: Governo inicia contatos para integrar Teresópolis

Incluir Teresópolis ao Parque Tecnológico Região Serrana, que reúne empresas e instituições como Microsoft, General Eletric, Laboratório Nacional de Computação Científica, FIRJAN, CEFET, entre outras de expressão nacional e internacional, é meta que o Governo Municipal já colocou em andamento.

O Parque Tecnológico Região Serrana está instalado em Petrópolis e foram iniciadas as reuniões para que Teresópolis seja inserida neste ousado empreendimento que, pela sólida estrutura, possibilitou Petrópolis receber um megacomputador de R$ 60 milhões em 2015 numa parceria com o Ministério de Ciência e Tecnologia.

O Parque teve início em 1998 naquela cidade com o nome de Tecnópolis. O principal objetivo é o de criar condições para instalação de empresas de tecnologia da informação, gerando um ambiente de futuro, de inovação, consequentemente, empregos e renda.

União

Ao tomar conhecimento, através da Alterdata Software, da viabilidade de Teresópolis ser integrada ao Parque Tecnológico, o Secretário Municipal de Ciência e Tecnologia, José Renato de Miranda, fez contato com o Diretor Executivo daquela empresa, Ladmir Carvalho. Também como membro do Conselho do Parque, Ladmir Carvalho, de imediato, deu a partida nos entendimentos para a inclusão da cidade no empreendimento.

A ideia de José Renato de Miranda de convidar o Departamento de Ciência e Tecnologia do Unifeso (Centro Universitário Serra dos Órgãos) foi prontamente aceita pela diretoria do Parque Tecnológico.

Então, com a presença do Coordenador do Conselho Gestor, Jonny Klemperer, aconteceu na Alterdata o primeiro encontro para se viabilizar a integração. Participaram o Secretário de Ciência e Tecnologia, a Diretora do Centro de Ciências e Tecnologia do Unifeso, Elaine Andrade, e o anfitrião Ladmir Carvalho.  

- Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo têm um histórico nos segmentos de turismo, gastronomia e alta tecnologia. O nosso pensamento é idealizar um corredor tecnológico e atrair empresas para a região, numa importante jornada de motivação e sustentabilidade econômica – explicou Jonny Klemperer.

Mapear as empresas na região e articular reunião com os seus representantes a fim de mobilizá-los a participar da iniciativa, foi uma das sugestões destacadas no encontro.

– A proposta é nos reunirmos com a Prefeitura, o Unifeso, empresários locais e criarmos um mecanismo de encontros regulares, de troca de informações e de necessidades para vermos com o que cada um pode contribuir. Se todos pensarmos de forma colaborativa, Teresópolis estará muito bem colocada no Parque -, frisou Ladmir Carvalho.

O empresário avaliou positivamente o interesse do Governo de Teresópolis em alavancar a economia do Município através da integração ao Parque Tecnológico Região Serrana, lembrando que entre 1998-2000 foi beneficiado por uma lei municipal de incentivo fiscal.  

- A Alterdata foi fundada em Petrópolis e veio para Teresópolis devido a uma lei de incentivo do Mario Tricano há mais de quinze anos. Por causa dessa legislação, temos hoje a quinta maior empresa do país aqui na cidade, empregando mais de mil pessoas. Foi um tiro certeiro que o governo deu lá atrás. E o trabalho da Prefeitura agora, de enxergar o Parque Tecnológico com esses olhos, pode ser o retorno de uma visão que, sem dúvida, fará com que apareçam na cidade outras empresas que empreguem nesse volume que nós empregamos e que contribuam com a economia da cidade.

Para Elaine Andrade, a aproximação universidade-empresa é fundamental para o fortalecimento do Parque Tecnológico.

- Unir o meio empresarial com uma instituição de ensino é o casamento perfeito. Temos um novo marco regulatório da Ciência e Tecnologia e Inovação que prevê essa aproximação maior de empresas com universidades. Acho que é o que falta, é o pulo do gato para que a gente realmente cresça a passos largos. Parque tecnológico é tudo isso: empresas vindo para nossa cidade e a nossa instituição participando desse processo de pesquisa, de novas tecnologias -, opinou.

Sobre a atuação do Governo, José Renato de Miranda deu ênfase à recondução da política empresarial numa área de grande expressão.

- O Governo tem se dedicado intensamente ao resgate da credibilidade com atitudes de transparência total, a exemplo da exposição das contas na entrada da Prefeitura, Decreto Anticorrupção, da solicitação de auditorias do TCE e TCU no primeiro dia de governo e implacável redução de despesas. Em conjunto com a transparência moral, vem a reestruturação da gestão em várias áreas, inclusive, empresarial. Na Secretaria de Ciência e Tecnologia, vamos efetivar a integração ao Parque Tecnológico e, em específico com o Unifeso, vamos idealizar outras ações. Na Secretaria de Desenvolvimento Econômico, o Secretário, Carlos Dias, finalizou a elaboração do projeto básico para Parcerias Público-Privadas –, concluiu José Renato de Miranda, já com novas reuniões marcadas junto à Coordenação do Parque Tecnológico.